logo bm 950 350

 

BREVE RESENHA HISTÓRICA DA BIBLIOTECA MUNICIPAL DE SANTA CRUZ E BIBLIOTECA MUNICIPAL NO CANIÇO

“Sem livros
A História é silenciosa,
A Literatura é muda,
A Ciência é paralítica,
E o pensamento se fossiliza”
Bambaraw Tuckman

 

Na presença das autoridades concelhias foi inaugurada em Santa Cruz, no dia 16 de Julho de 1964, a Biblioteca Municipal de Santa Cruz, graças ao apoio imprescindível da Fundação Calouste Gulbenkian. Esta foi a segunda Biblioteca da FCG (n.º 73) a ser inaugurada na Madeira, logo a seguir à do Funchal, a primeira num concelho rural. A fundação pretendia abrir uma biblioteca em cada sede do concelho do arquipélago da Madeira. Esta já prestava um trabalho louvável na rede das Bibliotecas Itinerantes, um pouco por toda a ilha, e obviamente também por todo o concelho de Santa Cruz, mas agora pretendia criar bibliotecas fixas para melhor comodidade, formação educacional e desenvolvimento cultural, numa altura em que os livros eram raros e caros para a maioria da população. Ficou protocolizado que a instituição cultural cederia os livros e todo o mobiliário de recheio, enquanto a edilidade se comprometeria com os recursos humanos, o espaço físico e a sua manutenção.
Na sessão solene falaram o Dr. João Militão Rodrigues (Presidente da Câmara Municipal de Santa Cruz) e o Dr. Branquinho da Fonseca (Escritor e Diretor das Bibliotecas da Fundação Calouste Gulbenkian) que se tinha deslocado à Madeira para o efeito. Entre os convidados estava uma sobrinha do Presidente da Fundação, Dr. Azevedo Perdigão, em sua representação.
A biblioteca, primeiramente ficou instalada numa sala do edifício sede da Câmara Municipal, hoje Tribunal Judicial da Comarca de Santa Cruz, mas com a reabilitação dos antigos Paços do Concelho, em 1977, ela é acomodada no rés-do-chão do referido imóvel, na parte classificada como Monumento Nacional, como antes já se tinha determinado. O acesso à biblioteca fazia-se pela porta ogival manuelina, antiga entrada nobre da Câmara Municipal. Disponha de cerca de três mil volumes, número esse que com o decorrer dos anos foi aumentado. Em virtude do prestígio, do poder económico e cultural da Fundação Calouste Gulbenkian, verdadeiro Ministério da Cultura que o país não detinha, esta biblioteca possuía e possui livros de grande qualidade, de autores clássicos e emergentes, de várias disciplinas, a par do que havia de melhor nos grandes centros urbanos e culturais do país.
Desde 6 de Dezembro de 1993, sendo presidente da autarquia Luís Gabriel Rodrigues, a biblioteca foi transferida para uma dependência anexa da Quinta do Revoredo, quando a Casa da Cultura foi inaugurada, permanecendo até a atualidade. Este novo espaço era mais amplo e oferecia outras condições para os leitores e funcionários. Além disso era um espaço mais poético, recatado e debruçado sobre o mar convidando o leitor à introspeção, ao silêncio e à leitura.
Como curiosidade este espaço reabilitado, do séc. XIX, era o atelier de pintura e de fotografia de um dos membros da família Blandy, a quem esta vetusta Quinta pertencia. De alguma forma o lugar voltou a pertencer à arte e à leitura passados 100 anos!
Em 2000, a FCG entregou a biblioteca à Câmara Municipal passando agora verdadeiramente a se designar por Biblioteca Municipal de Santa Cruz e sobre a sua inteira responsabilidade.
Em 2015, a Biblioteca prestava um serviço inteiramente gratuito, com livre acesso às estantes, quer para leitura presencial, quer domiciliária, e tinha ao dispor dos utilizadores um considerável fundo bibliográfico, constituído por livros e diários regionais, entre outros, estimado em cerca de 20.000 unidades.
Dada a importância do livro, das bibliotecas, do descentralizar da cultura, promover a leitura e aproximar as bibliotecas da população, no ano de 2001 a Câmara Municipal de Santa Cruz abriu uma nova biblioteca na freguesia do Caniço.
Assim a 24 de Novembro desse ano, foi inaugurada a biblioteca, cerimónia essa que contou com a presença de diversas entidades e da população. Na ocasião discursaram: o sr. Aníbal Alves (Presidente da Junta de Freguesia), o Dr. Savino Correia (Presidente da Câmara Municipal) e o Dr. Alberto João Jardim (Presidente do Governo Regional).
A biblioteca do Caniço localiza-se desde a sua criação até à atualidade no mesmo local, na loja 23 do empreendimento “Jardins do Caniço”.
Com mobiliário próprio para a finalidade a que se destina, com boa luminosidade e espaçosa, iniciou a sua atividade com um espólio de dois mil livros, sendo aumentado esse número com o decorrer dos anos.
Por tudo o que significam as bibliotecas, poderá afirmar-se que elas contribuem para uma questão de sobrevivência da democracia e das nossas identidades coletivas. Certo é que, ao desbravar as obras, o leitor terminará, no mínimo, orgulhoso do enorme património que a humanidade, através dos livros foi capaz de espelhar o mundo.

 

Contactos / Horário de Funcionamento 

Logo Biblioteca Santa Cruz

 

 

 

Biblioteca Municipal de Santa Cruz
Rua Bela de São José
Quinta do Revoredo
9100-199 Santa Cruz
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

Biblioteca Municipal do Caniço
Edifício Jardins do Caniço Loja n.º 23
Rua Dr. Francisco Peres
9125-014 Caniço
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

Horário de ambas: Segunda a Sexta / 9h00 às 17h00
Contactos: 291 520 100